Blended learning: o ensino híbrido e a avaliação da aprendizagem no ensino superior

Janine Donato Spinardi, Ivo José Both

Resumo


A avaliação no processo de ensino deve contribuir com a aprendizagem do aluno e não ser meramente um instrumento de aprovação ou reprovação em qualquer modalidade de ensino. Assim, este artigo tem por objetivo analisar como a avaliação no ensino híbrido contribui para a aprendizagem do aluno, considerando a sua individualidade. Para atingir tal objetivo, adotou-se uma pesquisa bibliográfica em que os principais autores utilizados foram Valente (2014), Horn e Staker (2015) e Rodrigues (2015). Como resultado, observou-se que esta modalidade permite criar diferentes formas de avaliação.


Palavras-chave


Educação a distância; Tecnologias da informação e comunicação; Ensino híbrido; Sala de aula invertida; Avaliação

Texto completo:

PDF

Referências


ARREDONDO, S. C.; DIAGO, J. C. Avaliação educacional e promoção escolar. Tradução Sandra Martha Dolinsky. Curitiba: IBPEX; São Paulo: Unesp, 2009.

BOTH, I. J. Avaliação: “voz da consciência” da aprendizagem. Curitiba: InterSaberes, 2012. (Série Avaliação Educacional).

BRASIL. Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

FILIPE, M.; ORVALHO, J. G. Blended-Learning e aprendizagem colaborativa no ensino superior. 2004. Trabalho apresentado no VII Congresso Iberoamericano de Informática Educativa. Disponível em: Acesso em: 15 jul. 2016.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Tradução: Maria Cristina Gularte Monteiro. Porto Alegre: Penso, 2015.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudo e proposições. São Paulo: Cortez, 2013.

MINAYO, M. C. de S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 621-626, mar. 2012. Disponível em:

&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 31 jul. 2016.

MORAN, J. Educação híbrida: um conceito-chave para a educação, hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

RODRIGUES, E. F. A questão da verificação de aprendizagem no modelo de ensino híbrido. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

RODRIGUES, L. A. Uma nova proposta para o conceito de blended learning. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 1, n. 3, p. 5-22, 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2016.

SCHNEIDER, E. I. et al. Blended learning: o caminho natural para as instituições de ensino superior. São Paulo: ABED, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2016.

VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, n. 4, p. 79-97, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Creative Commons

ISSN Impresso 0102549-X

ISSN Eletrônico 2448-1483

 

 Licença Creative Commons

Este conteúdo está licenciado com Creative Commons Atribuição Não Comercial 4.0 Internacional.